Diretoria de Verdade garante Convenção Coletiva que os golpistas, em 25 dias, não assinaram

retomada-destacada

Veja aqui a Tabela de Salários.

Desde 6 de outubro nosso Sindicato voltou a ser dirigido pela Diretoria de Verdade, legitimamente eleita pela categoria, após ter passado 25 dias nas mãos de uma Junta golpista. Naqueles 25 dias, a categoria ficou sem um atendimento efetivo. Não assinaram a Convenção Coletiva, adiando e colocando em risco o aumento de 10% e o tíquete de R$ 30 para as guarnições e de R$ 25,50 para os demais funcionários, já acertados com os patrões antes de entrarem no Sindicato. Assim que voltamos, a CCT foi assinada.

tabelasalarios2016-1096px

A Diretoria de Verdade do Sindiforte-RJ voltou ao Sindicato no dia 6 de outubro. No dia 11, nossa Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), após assinada, foi encaminhada para a homologação pelo Ministério do Trabalho. A CCT já estava toda negociada e aprovada pela categoria em assembleia quando os golpistas entraram no Sindicato. Passaram 25 dias sem assinar o documento, colocando em risco todas as conquistas já negociadas.

CONTRASP ASSINOU A CCT

A CCT 2016/2017 foi assinada, a pedido do Sindiforte-RJ, pela CONTRASP, a Confederação Nacional à qual nosso Sindicato é filiado.

– Pedimos à CONTRASP para assinar por conta de toda essa confusão montada pela oposição. Assim a CCT estará garantida, independente de qualquer questionamento sobre a diretoria do Sindiforte-RJ. Mais importante do que qualquer briga política ou sindical, ou do que a vaidade de ter assinado a CCT, é a garantia dos direitos da categoria. Com a CONTRASP assinando, a Convenção e os direitos nela firmados não ficam sujeitos a nenhum outro questionamento. Por isso pedimos à CONTRASP para assinar, para preservar os trabalhadores – explica o presidente do nosso Sindicato, José Roberto Bezerra.

REAJUSTE E TÍQUETE

A Convenção garantiu um aumento salarial de 10% nos pisos, para salários até R$ 7.280,46. É um reajuste acima da inflação do período. Para quem recebe acima deste limite, a parcela do salário acima deste valor também pode receber algum percentual de reajuste, de acordo com a livre negociação com a empresa. O Sindicato defende 10% para todos. Já os tíquetes (refeição ou alimentação) ficaram no valor de face de R$ 30 para as guarnições e de R$ 25,50 para os demais funcionários.

A CCT garante ainda 4% de triênio ou quinquênio e Adicional de Periculosidade de 30% do piso da função, com reflexo nas horas-extras, férias e 13º salário.