Sindicatos de Vigilantes de Carro-Forte preparam movimento nacional contra insegurança

Destacada-Seguranca

Em reunião realizada em São Paulo, sindicatos de vigilantes em transporte de valores de todo o país decidiram realizar um movimento nacional de paralisação dos serviços para alertar a sociedade brasileira contra o crescimento da onda de ataques criminosos aos carros-fortes.

Os sindicatos, reunidos na federação da categoria, a Fintrave, no último 24 de maio, reclamam que a Polícia Federal não autorizou medidas que resultariam em maior proteção para a categoria, como a adoção de armamentos mais pesados, capazes de fazer frente aos que os marginais têm utilizado nos assaltos aos blindados das transportadoras de valores.

Nos últimos anos, vários ataques têm deixado vítimas fatais entre os vigilantes. Tanto a blindagem dos veículos está aquém da necessária para defender a integridade física dos trabalhadores, quanto estes não dispõem de armamento à altura do que é usado pelos bandidos atualmente.

– O armamento mais pesado e eficaz precisa ser autorizado pela Polícia Federal, que supervisiona o segmento. Mas a PF se nega a autorizar, trazendo com isso muita insegurança para milhares de pais de família que trabalham nos carros-fortes. Vamos à luta contra esta situação, em defesa de nossas vidas e do nosso trabalho – declarou o presidente do Sindiforte-RJ, José Roberto Bezerra.